S

Sacador: aquele que emite um cheque.

Sala de Negociações: Sala do pregão das bolsas.

Salário Mínimo: Menor remuneração do trabalho permitida por lei.

Saldo:
Diferença entre débitos e créditos em uma conta; resto de uma quantia a pagar ou a receber.

Saldo bloqueado: Saldo com depósitos em cheques aguardando compensação bancária.

Saldo em Transações Correntes: É o resultado de todas as operações do país com o exterior.

Saldo médio: Média aritmética dos saldos diários da conta corrente bancária em determinado período (mês, trimestre).

Saque: Retirada de dinheiro da conta corrente bancária; ato de sacar uma ordem de pagamento ou título de crédito.

Sazonalidade: É a denominação do período do ano com maior atividade de determinado setor da economia. A indústria tem maior nível de atividade nos meses de setembro e outubro, quando a produção aumenta para atender às encomendas do comércio para as vendas de Natal.

SEC:
Securities and Exchange Commission. É o órgão nos Estados Unidos equivalente à Comissão dos Valores Mobiliários aqui no Brasil.

Seguro: Contrato no qual um dos contratantes (companhia de seguros) assume a obrigação de indenizar ao outro (segurado) por um prejuízo (sinistro), resultante de um evento futuro, possível  e incerto (o risco) indicado no contrato, mediante o recebimento de uma importância estipulada (prêmio).

SELIC: Taxa básica de juros da economia. Referência nas transações feitas entre os bancos e o BACEN. O Banco Central estipula a taxa SELIC, que por sua vez, influencia a taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário). As duas taxas, portanto, possuem valores muito próximos.

Serviço da dívida:
Pagamento de juros e principal (valor do empréstimo) de uma dívida.

Serviços: Qualquer trabalho feito por dinheiro ou em troca de algo. São atos executados por indivíduos ou empresas que satisfazem as necessidades humanas. Exemplos: serviço médico, telefônico, mecânico.

Sigilo: Impedimento legal da revelação de assunto confidencial sobre nomes e operações de clientes. Só podem ser revelados por autorização escrita desses clientes ou por ordem de autoridade competente.

Sigilo bancário: Sigilo sobre movimentações financeiras de clientes de instituições financeiras.

Sigilo fiscal: Sigilo sobre declaração de impostos às repartições federais, estaduais e municipais.

Sinistro: realização do risco previsto no contrato de seguro, dele resultando perdas para o segurado ou seu beneficiário. Pode ser total ou parcial.

SISBACEM – Sistema de Operações, Registro e Controle do Banco Central. É o Sistema de computadores do BACEN. Nele são registradas as saídas e entradas de dólares do país, por exemplo.

Sistema Econômico: Conjunto de instituições jurídicas e sociais, em que são empregados certos meios técnicos para assegurar a realização do equilíbrio econômico.

Sistema Financeiro:
Conjunto de instituições públicas e privadas que possibilitam a transferência de recursos entre os diversos agentes financeiros
(poupadores, investidores, etc.)

Sistema Monetário:
Conjunto de cédulas e moedas adotado por um país.

Smart card (cartão inteligente): cartão de plástico, no mesmo formato de um cartão de crédito, que dá acesso aos terminais 24 horas para depósitos e retirada de dinheiro.

Socialismo: Doutrina que preconiza a organização de uma sociedade igualitária, livre das relações de exploração entre as classes sociais, e que assegura a primazia do interesse coletivo sobre os individuais.

Sociedade: Entidade jurídica, instituída por um contrato, que reúne várias pessoas que se obrigam a empregar em comum, valores, bens, ou trabalho, com finalidade lucrativa.

SRF – Secretaria da Receita Federal. Autarquia do Ministério da Fazenda que regula e fiscaliza a arrecadação dos tributos federais.

SUMOC - Superintendência da Moeda e do Crédito. Órgão criado em 1945, com a finalidade de exercer o controle monetário e de preparar a organização de um banco central para o país.

Superávit: Acontece quando a arrecadação de impostos é maior que os gastos do governo.

Superávit Primário do Setor Público: Caracteriza-se quando o Governo consegue que sua arrecadação total supere suas despesas, descontados os gastos com juros e correção monetária de dívidas.