História do dinheiro

O que é dinheiro?
Dinheiro, tal como conhecemos nos dias de hoje, é uma quantia em moedas ou notas de papel (cédulas) que nós usamos para comprar coisas e fazer pagamentos. Cada país decide que tipo de dinheiro vai usar. A maioria tem dinheiro de metal, as moedas, e dinheiro de papel, ou papel-moeda. Na Austrália, recentemente, começou a circular o "dinheiro de plástico". Com a aparência dos cartões de crédito ou de banco, este tipo de dinheiro apresenta a vantagem de ser mais durável que as cédulas de papel convencionais. No Brasil, a unidade básica do dinheiro é o Real. O governo do Brasil usa a Casa da Moeda, que é onde todo dinheiro brasileiro é impresso, para imprimir notas de R$2,00, R$ 5,00, R$10,00, R$20,00, R$ 50,00 e R$ 100,00.
A Casa da Moeda também fabrica moedas de diferentes tamanhos.

Onde fica a Casa da Moeda?
A Casa da Moeda fica no estado do Rio de Janeiro, no Distrito de Santa Cruz.

A Casa da Moeda fabrica o papel ou apenas o imprime?
Apenas imprime. O papel é produzido por uma indústria (a Papel Salto) que fica na cidade de Salto (interior do estado de São Paulo). Desta fábrica o papel, que mais tarde vai ser impresso na Casa da Moeda, já sai com a marca d´água e fio de segurança. O papel que sai da fábrica é enviado à Casa da Moeda em grandes folhas. Em cada uma destas folhas, mais tarde, serão impressas, aproximadamente, 50 cédulas.

Que moedas estão sendo, atualmente, fabricadas no Brasil?
A Casa da Moeda, obedecendo as determinações do governo (na figura do Banco Central), fabrica moedas de 5 centavos; 10 centavos; 25 centavos; 50 centavos e a de 1 real.

O dinheiro é o mesmo no mundo todo?
Não, não é. No Brasil nós temos o real. A maior parte dos países tem seu próprio dinheiro, embora alguns países aceitem dinheiro de outros lugares. Nos EUA, o dinheiro é o dólar. Na Grã- Bretanha, que inclui a Inglaterra, a unidade básica do dinheiro é a libra. Na França e na Alemanha é o euro. No Japão é o yen. E no Canadá é o dólar canadense que é diferente do dólar americano.

O dinheiro foi sempre assim- moedas ou papel?
Não. Inúmeros objetos e utensílios foram usados como dinheiro em diferentes momentos da história e em diferentes lugares. Alguns deles: chá; penas de avestruz; bacalhau; presas de javali; contas de vidro; cacau; ovos; pele de animais; enxadas; seixos; chaleiras; fumo; pregos; óleo de oliva; bois; mandíbulas de porco; anzóis; crânios humanos; arroz; cauri (moluscos); sal; escravos; dedais; marfim; vodka; tecidos; fios de lã e de seda; conchas. Com o tempo surgiu a necessidade de utilização de materiais que pudessem ser armazenados sem perigo de deterioração e sem perder o valor. Como resposta a esta necessidade iniciou-se a utilização de metais preciosos (ouro, prata, bronze e cobre) como medida de troca para pagamentos (dinheiro). Inicialmente os metais eram derretidos e transformados em barras, lingotes, cubos ou placas.

Como surgiu a moeda de metal?
As primeiras moedas de metal surgiram, aproximadamente, no ano 700 a.C., na Lídia (Grécia). Eram feitas de eletro, uma liga natural de ouro e prata.

Qual a origem da palavra moeda?
Este vocábulo é originário do nome, em latim, do templo da deusa "Juno Moneta" - local onde eram confeccionadas as moedas romanas
(aprox. séc. III a.C.).

Todas as moedas tem o mesmo formato circular?
Não. Existem os mais diferentes formatos de moedas. Em Aruba, no Caribe, o centavo de florim é quadrado. Na Algéria, a moeda tem 10 faces (formato decagonal). Moedas furadas existem na China há séculos. Também no Japão são encontradas moedas com um furo no centro. Graças a este furo as moedas eram amarradas à cintura, com o objetivo de facilitar o transporte e protegê-las dos ladrões. Também na Dinamarca são encontradas moedas assim.

Como surgiu o papel-moeda?
As primeiras cédulas surgiram na China, no séc.VII, e eram confeccionadas com cascas de amoreira. Devido ao seu pouco peso era chamado de "dinheiro voador". O uso do papel-moeda veio a se tornar popular na Europa e nos EUA apenas na segunda metade do século XIX.

O dinheiro dura para sempre?
Se cuidarmos bem das moedas elas podem durar por milhares de anos. Isto porque elas são feitas de metal - que não se desgasta facilmente. O papel-moeda, entretanto, não tem a mesma sorte e estraga-se com facilidade. Para que possam durar mais tempo é preciso cuidado em não guardar as notas dobradas; não molhá-las; não rasgar e nem escrever sobre as notas. Com estes cuidados uma nota de real deve durar, em média, dois anos.

Que cuidados devemos ter para preservar moedas antigas?
A melhor maneira de limpar estas moedas é usando sabão e água. Não dê polimento, pois isso pode danificar as moedas. Para manuseá-las devemos segurá-las pelas bordas. Nunca coloque uma moeda sobre a outra: o atrito danifica as gravuras.

O papel-moeda tem sempre o mesmo formato?
Sim. As variações ocorrem em função dos métodos de impressão, dimensões e diferentes representações visuais. Em alguns países o tamanho das notas é correspondente ao seu valor. Outros, como o Brasil, utilizam dimensão única para todos os valores. Nos países do Oriente, é bastante freqüente a produção de cédulas de leitura vertical, obedecendo a forma de escrita daqueles países. Algumas notas foram impressas em tamanhos curiosos. É o caso da nota de 500 rublos (Rússia, 1912) que media 27 por 13 cm - quase o tamanho de uma caixa de sapatos. Na China comunista, por outro lado, foram impressas notas tão pequenas que era difícil não perdê-las. A cédula de 1 yuan media apenas 8 por 4 cm- o tamanho de uma nota de Banco Imobiliário.

A unidade monetária do Brasil sempre foi o real?
Não. O Brasil passou por vários padrões. São eles:
Mil Réis (1833- 1942)
Cruzeiro (1942- 1967)
Cruzeiro Novo (1967- 1970)
Cruzeiro (1970- 1986)
Cruzado (1986- 1989)
Cruzado Novo (1989- 1990)
Cruzeiro (1990-1993)
Cruzeiro Real (1993- 1994)
Real (primeiro de julho de 1994).

A Casa da Moeda só produz dinheiro?
Não. A Casa da Moeda também fabrica selos para os correios, selos fiscais - usados em cigarros, bebidas, relógios - cartões telefônicos, passaportes, carteiras de trabalho, títulos de dívidas públicas, bilhetes de metrô. A Casa da Moeda já fabricou colones para a Costa Rica, pesos venezuelanos e bolivianos, suares equatorianos e intis peruanos.

Quanto tempo um gravador (profissional responsável pelo desenho da matriz - molde em metal- a ser utilizada para a impressão) leva para preparar a imagem que vai aparecer impressa nas cédulas?
O trabalho do gravador é extremamente delicado. Ao fazer o molde em metal, o gravador precisa riscar de três a oito linhas no espaço de 1 milímetro. Para arrancar estas pequenas lascas do metal utiliza um instrumento pontudo, o buril. Para a realização deste trabalho os gravadores precisam de concentração absoluta. Tanto que não trabalham sexta-feira à tarde. Dizem que a ansiedade pela chegada do fim-de-semana pode provocar erros. E um erro na gravação pode significar a perda de semanas de trabalho. No Brasil, não mais de 10 pessoas estão habilitadas a exercer este trabalho. Um gravador leva até 48 dias para preparar a imagem de uma cédula.

Como é feita a segurança na Casa da Moeda?
O setor de segurança exige atenção permanente. Quem entra na Casa da Moeda enfrenta revistas e atravessa 3 roletas magnéticas. Quando a pessoa entra na Casa da Moeda deve retirar de seus bolsos qualquer dinheiro que leve consigo. Durante toda a visita é obrigado a usar um jaleco sem bolsos e, na saída, é novamente revistado. Na hipótese de haver esquecido, lá no início, de entregar alguma moeda - mesmo que de 1 centavo - encontrada só na segunda revista, pode desistir dela. Para todos os efeitos ela, agora, pertence à Casa da Moeda. Mesmo os funcionários antigos têm o acesso proibido a setores como o de refino de ouro.

O que determinou a mudança das moedas em 1998?
O Banco Central fez uma pesquisa e descobriu que a população achava o modelo antigo de difícil reconhecimento, porque, além de os desenhos serem muito parecidos, todas as moedas eram de aço inoxidável.

Como se deve proceder para evitar receber uma nota falsa?
É preciso prestar atenção ao desenho, à textura do papel e a qualidade de impressão das notas. É preciso atenção, ainda, aos elementos de segurança que toda nota contêm (a marca d´água, a existência ou não de fios de segurança, registro coincidente, imagem latente e fibras coloridas).

Como agir em caso de recebimento de uma nota falsa?
Por pior que seja o prejuízo - já que você não vai receber outra cédula - deve-se entregar, imediatamente, a nota falsa ao banco. A razão é simples: se a polícia descobrir que a pessoa estava consciente do uso de cédulas falsas, ela poderá pegar de 6 meses a 1 ano de detenção, além de receber uma multa.

Qual o destino do dinheiro falsificado que é apreendido?
Ele é encaminhado ao Banco Central do Rio de Janeiro. Lá permanece por um ano e depois é incinerado. Fica depositado por este período pois costuma ser solicitado pela policia ou pelo judiciário em casos de inquéritos e processos.

Quantas das novas moedas foram distribuídas?
Inicialmente, foram distribuídas 250 milhões de moedas.

Por quanto tempo as moedas antigas continuarão circulando?
As moedas antigas vão ser recolhidas aos poucos. O Banco Central estima que toda a troca se dará entre 5 e 8 anos.

Que figuras foram cunhadas nas novas moedas?
1 centavo - Pedro A. Cabral
5 centavos - Tiradentes
10 centavos - D.Pedro I
25 centavos - Deodoro da Fonseca
50 centavos - Barão do Rio Branco
1 real - Efígie da República

De que material são feitas as novas moedas?
0,01 e 0,05 - chapas de aço revestidas de cobre
0,10 e 0,25 - aço revestido de latão
0,50 - níquel
1,00 - níquel com borda em latão


Ilustração:
Mercadoria-Moeda, Museu da Moeda - Paris/França.
Inúmeros objetos foram usados como dinheiro em diferentes momentos da história e em diferentes lugares. A mercadoria-moeda da ilustração está exposta no Museu da Moeda, em Paris.