A compra dos matériais escolares

A compra do material escolar surpreende os pais em plena temporada de cobrança de impostos como IPVA e IPTU e ainda, como se não bastasse, o pagamento de dívidas relacionadas à aquisição dos presentes de Natal.

Encurralados pelas exigências das crias, nem sempre os pais conseguem encontrar argumentos que driblem a compra dos cadernos e mochilas de marcas, que custam muitas vezes mais caro e são tão bons quanto os modelos mais simples.

Bem sei que é difícil admitir para nós mesmos que o orçamento familiar não comporta todas as vontades dos filhos. No entanto, para o bem deles, é fundamental que os filhotes cresçam cientes da realidade da família. Isso não quer dizer que os pais devam expor mais do que os filhos merecem saber sobre as finanças da família. O importante é dizer, de modo claro, sem dramas, que o orçamento familiar tem limites, e que é preciso priorizar os gastos. Alguma carinha emburrada ou má criação podem até surgir nessa hora. Mas ser capaz de suportar a frustração dos filhos é um dos nossos principais deveres como pais.

De toda forma, para amainar os conflitos, e evitar birras de enlouquecer, convém deixar os filhos em casa na hora das compras do material escolar. Afinal de contas, esperar que as crias sejam capazes de compreensão e maturidade com tantas tentações ao alcance de seus olhinhos é pedir mais do que elas conseguem oferecer.

Por fim, o início do ano letivo é sempre um período de muita expectativa para as crianças. O reencontro com os colegas, o contato com os novos professores e até a mudança de sala de aula as enchem de excitação e ansiedade. Por isso, na medida em que seu orçamento permitir, surpreenda sua cria. Como uma espécie de brinde ao ano que se inicia, tente incluir nas compras pelo menos um item especial- mesmo que o mais baratinho- dos tantos que ela tanto sonha em levar para a escola.