O melhor da festa

Existe um dito popular que não sai de moda: o melhor da festa é esperar por ela. Sabendo disso, não tenha receio de deixar seu filhote esperar para conseguir o que quer. Determine as grandes datas em que ele será presenteado e comunique-as a ele. Se o pequeno ainda não tem perfeita compreensão da passagem do tempo, será útil providenciar um calendário - de tamanho grande o bastante para que ela mesmo possa ir assinalando “quantos dias faltam?” para o grande dia.

Deixe-o fazer planos, por meses que seja, sobre o que irá pedir no aniversário, por exemplo. Não importa que a cada semana ele mude de ideia sobre o presente escolhido; as modificações no roteiro são parte da diversão durante a espera da festa.

Além disso, procure estabelecer marcas de tempo associadas ao consumo. Um exemplo fácil, que tem a vantagem de ser muito saudável, é autorizar a ingestão de refrigerantes apenas nos finais de semana. É incrível a alegria e o efeito organizador que determinações desse tipo provocam na criança. Pode apostar.

Curiosamente, são os adultos que sentem dificuldade em suportar a espera dos filhos. Não por acaso são delicados os atropelos que os adultos - frequentemente com a melhor das intenções- promovem em épocas como a Páscoa. Por acaso você consegue imaginar o esforço que uma criança precisa fazer para acreditar no Coelhinho da Páscoa quando, semanas antes da data, a cada ida ao supermercado, os ovos são repetidamente incorporados às compras familiares? Se o que lhe ocorre é que não há como disputar com as gôndolas dos supermercados- que a cada ano começam a vender a festa cada vez mais cedo- minha resposta é que sim, é possível ganhar essa guerra. Tudo depende apenas de você determinar-se a ser capaz de controlar o seu impulso de ceder à tentação. Afinal, um presente lindo de se dar aos filhos é ensiná-los a suportar com jeito e prazer as longas esperas da vida.