Estou preocupada com essa crise financeira. O que devo fazer?

Tenho um filho e acabo de saber que vou ter um segundo bebê – mas nosso apartamento vai ficar bem apertado. Quero trocar de casa, porém estou preocupada com essa crise financeira. O que devo fazer?

Como você, tenho vivido os últimos meses sob o impacto da crise mundial. O cenário é grave. Neste momento é melhor ser prudente, evitando se endividar no longo prazo. Minha aposta é a de que o mercado imobiliário sofra um impacto considerável por causa da crise, o que significará queda de preços. Para quem tem dinheiro para comprar à vista e pode se dar ao luxo de esperar, talvez valha a pena aguardar um pouco (dois ou três meses). Além disso, convém equacionar o orçamento para construir um “fundo de emergência”. Ele tornará menos vulnerável as finanças da família. Por mais difíceis que sejam, são decisões prudentes que não podem ser adiadas. De maneira geral, recomenda-se que um fundo de emergências reúna de três a seis meses da renda familiar. Essa programação permite que a gente possa se dedicar apenas ao que é realmente importante nessa vida – como viver a alegria da chegada dos filhos e o crescimento deles.


Cássia D'aquino,
Coluna publicada na Revista Crescer