A

Ação: É o título que representa a menor fração do capital de uma empresa. As mais importantes são as ações ordinárias e as preferenciais.

Ação Ordinária: Ação que tem características de conceder a seu titular o direito de voto em assembleia da sociedade.

Ação Preferencial: Ação que dá ao seu possuidor prioridade no recebimento de dividendos ou, em caso de dissolução da empresa, no reembolso do capital. Não dão direito a voto nas assembleias da sociedade.

Agente Econômico: Indivíduos, grupos ou organismos que constituem, do ponto de vista dos movimentos econômicos, os centros de decisão e de ações fundamentais.

Ágio: Importância que o comprador paga a mais sobre o valor nominal de um título.

Ajuste Fiscal: Parte da política do governo federal de tentar gastar menos do que arrecada.

Alíquotas: percentual aplicado para calcular o valor de um imposto, como o Imposto de Renda ou ICMS. Alguns investimentos estão sujeitos a alíquotas

Amortizações: São pagamentos de dívidas contraídas por empresas brasileiras e pelo próprio Governo junto a instituições financeiras no mercado internacional.

Apólice de seguros: Certificado de contrato que a companhia de seguros emite ao aceitar o risco proposto pelo segurado, e que garante, a este, ressarcimento por determinado prejuízo (perda de bens, acidente, morte).

Aposentadoria: Afastamento do serviço depois de completados os anos estipulados em lei para exercício de atividade, ou, antes desse prazo, por invalidez. Pode significar ainda a remuneração recebida mensalmente pelo beneficiário aposentado.

Arrecadação Tributária: Corresponde ao que é arrecadado pelo setor público, mediante pagamento de contribuições e impostos.

Atividade Econômica: Conjunto de atos pelos quais as pessoas satisfazem às suas necessidades, através da produção e troca de bens e de serviços.

Ativo: Conjunto de bens e créditos que formam o patrimônio de um sujeito econômico.

Ativo Real: um bem concreto como casa, máquinas, carros, etc.

Ativo Financeiro: um título como CDB, ações, etc.

B

B3: nome da Bolsa de Valores do Brasil, hoje a 5ª maior bolsa em valor de mercado do mundo. Originalmente criada em 1890 como Bolsa Livre, ela passou por diversas reformulações ao longo do tempo até chegar à sua forma atual. A mais recente mudança ocorreu em março de 2017, com a fusão entre a BM&F Bovespa e a Cetip, dando origem à B3.
Balança Comercial: É o item mais importante das contas externas. Registra todas as exportações e importações feitas por empresas no Brasil.

Balança de Capital: Conta estatística que resume a movimentação do ativo e do passivo, ocorrida entre um país e o resto do mundo, no decurso de um determinado período.

Balança de pagamentos: é o registro anual de todas as transações, comerciais e financeiras, entre os residentes no país (incluídas as filiais de empresas estrangeiras) e no Exterior.

Balanço de Transações Correntes: É o saldo da balança comercial (exportações menos importações) e de serviços como pagamento de juros da dívida externa.

Banco: Estabelecimento ou sociedade de crédito que tem por objetivo principal receber depósitos em conta corrente, aplicar capital, realizar empréstimos, efetuar cobranças e operar em câmbio. A palavra BANCO vem do germânico Bank – banco de madeira usado por aqueles cujo ofício era cambiar e emprestar dinheiro. A partir da Idade Média, passaram a ser chamadas assim as primeiras casas ou estabelecimentos nos quais se realizavam essas atividades.

Banco Central do Brasil: Foi criado pela Lei 4595, de 31 de dezembro de 1964, chamada Lei de Reforma Bancária, com a finalidade de fiscalizar as instituições financeiras. Dentre as muitas atribuições importantes do BACEN está o de regulador das políticas monetária e creditícia do Governo, administrador das reservas internacionais e fiscalizador do Sistema Financeiro Nacional.

Bancos de Desenvolvimento Estaduais: Instituições financeiras constituídas como sociedades anônimas, controladas pelos governos estaduais. Seus objetivos são fornecer recursos para financiamentos, a médios e longos prazos, de programas e projetos que visem promover o desenvolvimento econômico e social no estado em que tiverem sede. Não captam recursos através de depósitos à vista em contas-correntes. Sua denominação inclui a expressão “Banco de Desenvolvimento” seguida do nome do Estado em que atuam.

Bancos de investimentos: Instituições financeiras constituídas sob a forma de sociedades anônimas. Seus principais objetivos são a prática de operações de investimento, participação ou financiamento a prazos médios (superiores a um ano) e longo, para suprimento de capital fixo ou de movimento de empresas do setor privado, mediante aplicação de recursos próprios e coleta, intermediação e aplicação de recursos de terceiros. Não podem captar recursos na forma de depósito à vista em contas-correntes.

Banco sacado: banco em que o cliente emitente mantém sua conta corrente

Banda Cambial: É a banda ou limite determinado pelo Governo para a flutuação do real frente ao dólar, ou outra moeda forte. O Banco Central compra ou vende, conforme a moeda nacional se aproxima de um dos limites da banda.

Beneficiário: pessoa a favor de quem é emitido um cheque.

Bens de capital: Bens utilizados para a produção de outros bens (instalações, equipamentos, maquinaria).

Bens e Serviços: Produtos da atividade econômica; elementos constitutivos da produção.

BID: Banco Interamericano de Desenvolvimento: Instituição internacional, com sede em Washington (EUA), voltada para o auxílio financeiro e o desenvolvimento da infraestrutura de países emergentes.

Bimetalismo: doutrina ou sistema monetário típico do século XIX, que estabelecia uma taxa de troca entre dois metais (geralmente ouro e prata) a um preço fixo, sem impor nenhuma limitação quanto ao uso e cunhagem de ambos. Sendo assim, todo papel moeda em circulação era conversível em ouro ou prata.

Blue Chips (de 1ª linha): ações de grande liquidez são as mais procuradas pelos investidores. De forma geral, são ações de grandes empresas que possuem excelente reputação no mercado. As ações de 2a linha são de menor liquidez, de empresas boas, mas com risco superior aos das blues chips. As de 3a linha são ações de pouca liquidez e grande nível de risco.

BNDES: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Empresa pública federal, cujo principal objetivo é financiar a longo prazo os empreendimentos que contribuam para o desenvolvimento do país.
Bovespa: nome do principal índice de desempenho da B3, o Ibovespa. Esse índice mede a performance das ações a partir de uma seleção de 65 ações de 61 companhias com maior volume de negociações na bolsa. Consequentemente, funciona como um termômetro do mercado de ações no Brasil. Seus números são acompanhados diariamente pelos investidores.

C

Caderneta de Poupança: Conta em estabelecimento bancário que oferece remuneração mensal. Não é movimentável por cheque. Isenta de Imposto de Renda (IR) e do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF).

Caixa automático: Máquina que, funcionando em um banco, ou outro lugar conveniente, possibilita às pessoas acessar suas contas bancárias para fazer depósitos, saques ou efetuar o pagamento de contas.

Calote: Dívida não paga no vencimento ou contraída sem intenção de quitá-la.

Câmbio: É a troca de uma moeda estrangeira por outra.

Câmbio Comercial: Disciplinado e controlado pelo Banco Central, abriga operações de exportação, importação e remessa em ingresso de capital estrangeiro.

Câmbio Fixo: Política cambial em que se atrela a moeda nacional a uma moeda forte como o dólar.

Câmbio internacional: Negociação de moedas estrangeiras.

Câmbio Livre: Forma de regime cambial. Sem que Banco Central intervenha, oferta e demanda estabelecem um valor para a moeda.

Câmbio Paralelo: É o mercado que existe quando o país não tem uma política de câmbio 100% livre. O mesmo que câmbio negro.

Canhoto: Parte que não se destaca nos talões de cheques, ficando presa à lombada, geralmente à esquerda. Deve ser preenchido como forma de controle dos cheques emitidos.

Capital: Soma de bens e valores mobilizados para a constituição de uma empresa. Dinheiro investido em atividades econômicas, com intenção de lucro.

Capital de Giro: Recursos próprios ou de terceiros utilizados pelas empresas para financiar o giro dos negócios (produção, vendas, estoque, etc.).

Capitalismo: Sistema econômico baseado na legitimidade dos bens privados e na irrestrita liberdade de comércio e indústria, com o objetivo de adquirir lucro.

Carga Tributária: É parte do esforço fiscal do governo. Corresponde ao montante de impostos arrecadados no país. A carga é medida em percentual do PIB. No Brasil, a arrecadação de impostos representa cerca de um terço das riquezas produzidas no país.

Cartão de Banco: Cartão de plástico, no mesmo formato de um cartão de crédito, que dá acesso aos terminais 24 horas para depósitos e retirada de dinheiro. Também chamado de cartão eletrônico.

Cartão de Crédito: Possibilita às pessoas comprarem a crédito produtos e serviços. Foi criado com a finalidade de incrementar o consumo, uma vez que facilita as operações de compra. Funciona como “dinheiro virtual”.

Cartão de Débito: Cartão associado à conta corrente de depósito. Permite ao titular realizar saques em caixas eletrônicos e realizar compras em estabelecimentos comerciais. Nesse caso toda despesa efetuada é automaticamente debitada na conta corrente.

Cartão Eletrônico: Cartão de plástico, no mesmo formato de um cartão de crédito, que dá acesso aos terminais 24 horas para, por exemplo, realizar depósitos e retirada de dinheiro.

Cartão Inteligente: o mesmo que cartão eletrônico. Também chamado de Smart Card.

Carteira de ações: Conjunto de ações de um investidor.

Carteira de ativos: o mesmo que carteira de investimentos

Carteira de investimentos: o conjunto de investimentos de uma pessoa. O mesmo que carteira de ativos

Cartel: Acordo realizado entre empresas independentes umas das outras, com o objetivo de limitar ou suprimir os riscos da concorrência.

Cash Flow: Ver fluxo de caixa.

C-Bonds: Títulos da dívida externa brasileira mais negociados no mercado internacional.

CC5: São as contas-correntes mantidas por pessoas físicas e jurídicas que não residem no Brasil. Em momentos de crise grande parte dos recursos do país saem por essas contas.

CCF: Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos. Banco de dados com a relação dos emitentes de cheques sem fundos em todo o país.

CDB: Certificado de Depósito Bancário. São títulos emitidos por bancos comerciais e de investimentos. Segundo a remuneração oferecida, podem ser pré ou pós-fixados. Os CDB’s pré-fixados estabelecem a taxa de remuneração no ato da aplicação, sendo que a taxa combinada será garantida para resgate somente no vencimento previsto. Os CDB’s pós-fixados são remunerados por uma taxa de juros aplicada sobre o valor do investimento corrigido pela TR (taxa referencial) do período da aplicação, ou indexada a taxas flutuantes como percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

CDI: Certificado de Depósito Interbancário. São títulos que os bancos lançam para captar dinheiro no mercado. Sua função é transferir dinheiro de um banco para outro. São influenciados pela taxa SELIC.

Cheque: Documento por meio do qual o titular de uma conta- corrente, ou de um depósito bancário, emite ordem para o banco pagar ou transmitir certa quantia a seu favor ou a favor de outra pessoa (o beneficiário).

Cheque Administrativo: é o cheque pelo qual o banco garante a existência de fundos, ou seja, responsabiliza-se pelo seu pagamento. Um exemplo de cheque administrativo são os cheques de viagem.

Cheque ao Portador: Não identifica o beneficiário e é pagável a quem o apresenta, podendo passar a terceiros sem endosso.

Cheque Avulso: O cheque que o banco fornece ao correntista que, por qualquer motivo, não traz consigo o talão de cheques.

Cheque Compensado: Cheque depositado.

Cheque Cruzado: Aquele que no ato da emissão, é atravessado em diagonal por dois traços paralelos. Só pode ser recebido por um banco.

Cheque de Viagem: Cheque adquirido de um banco e assinado pelo emitente na hora da compra, e, novamente, na hora da conversão em dinheiro. O mesmo que Traveller’s Check.

Cheque Especial: Permite ao emissor sacar uma quantia máxima estipulada pelo banco, mesmo que no momento não existam em sua conta fundos correspondentes.

Cheque Nominal: Traz expresso o nome do beneficiário e somente a ele pode ser pago.

CMN – Conselho Monetário Nacional. Formula as políticas monetária, creditícia e cambial, objetivando a estabilidade da moeda e o desenvolvimento econômico e social do país. É composto pelo Ministro da Fazenda ( que o preside), pelo Ministro do Planejamento e pelo presidente do BACEN.

Código de Defesa do Consumidor Bancário: regulamentação expedida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que estabelece procedimentos a serem observados pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central, na contratação de operações e na prestação de serviços aos seus clientes, e ao público em geral.

Commodities (mercadoria): Títulos correspondentes a negociações com produtos agropecuários, metais, minérios e outros produtos primários nas bolsas de mercadorias. Estes negócios se referem à entrega futura de mercadorias, sem que signifique, necessariamente, que exista movimento físico de produtos nas bolsas.

Concordata: Meio legal para suspensão de declaração de falência, utilizado por empresas insolventes e de boa-fé. A empresa em concordata se obriga a liquidar suas dívidas, segundo o que for estipulado em sentença que concede o benefício.

Consumidor: aquele que compra serviços ou produtos para uso próprio.

Conta bancária: o mesmo que conta- corrente.

Conta-Corrente: Inscrição em instituição bancária, que dá direito a utilizar serviços como receber salário, guardar dinheiro, emitir cheques, pagar faturas em sistema de débito automático.

Contracheque: Recibo de salário.

Convênio: Ato administrativo que permite a liberação do recurso previsto no Orçamento Geral da União (OGU). Quando o Governo vai, por exemplo, financiar uma obra em um município, assina um convênio com o prefeito.

COPOM – Comitê de Política Monetária do Banco Central. É o órgão que decide a política da taxa de juros. Foi criado em 1996 com o objetivo de estabelecer as diretrizes da política monetária, definir a taxa de juros básicos da economia e dar maior transparência às decisões do Banco Central do Brasil.

Correntista: Aquele que tem conta-corrente.

Corretora de Valores: Empresas constituídas como sociedades anônimas. Promovem a aproximação entre compradores e vendedores de títulos e valores mobiliários, através de operações realizadas, por exemplo, no pregão das bolsas de valores. São regulamentadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Banco Central.

Corrosão: processo acelerado de oxidação, causado pela presença de oxigênio, de cloretos ou de dióxido de enxofre no ar.

Cota: parte do patrimônio de um fundo de investimento.

Cotação: valor estipulado para a negociação de algumas mercadorias e serviços (moedas, ações e fundos, por exemplo)

Cotista: aquele que possui as cotas

CPF: Cadastro de Pessoa Física. Documento que identifica o contribuinte perante a Secretaria da Receita Federal.

CPMF: Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira. Tributo federal que incidia sobre movimentações financeiras de pessoas ou empresas.

Crash: Denominação dada a uma forte queda nas bolsas de valores.

Crédito: É a troca de um bem, ou concessão de uma quantia de moeda, pela promessa de pagamento futuro.

Crédito em prestações: Ver prestações.

Critério de Desempenho: São as metas do acordo com o FMI pelas quais o Brasil é avaliado. O descumprimento destas metas significa a interrupção dos repasses das parcelas de empréstimos e necessidade de nova renegociação.

Cruzado: Moeda brasileira que circulou entre 1986 e 1989.

Cruzado novo: moeda brasileira que circulou entre 1989 e 1990.

Cruzeiro: Moeda brasileira que circulou entre 1942 a 1967. Com poderes de compras diferentes, circulou novamente entre 1970 a 1986 e entre 1990 e 1993.

Cruzeiro Novo: Moeda brasileira que circulou entre 1967 a 1970.

Cruzeiro Real: Moeda brasileira que circulou entre 1993 e 1994.

Cunhagem: Processo de produção de moedas metálicas e medalhas, com inscrições ou imagens executadas em relevo, impressas por uma placa de metal cravada a entalhe, para produzir a impressão. O processo de cunhagem consiste em várias etapas: produzir as barras do metal; transformá-las em fitas; cortar os discos metálicos; realizar os ajustes de pesos; aparar seus bordos; tratar o metal com ácidos; prensar os punções sobre as faces dos discos e realizar a pesagem final.

Currency board: Forma de administração das operações de câmbio de um país. O Conselho Monetário Nacional (CMN) fixa paridade ao dólar, com respaldo de reservas no Banco Central. Para cada unidade de moeda nacional emitida em circulação existe valor correspondente em dólar.

Custeio: São as chamadas despesas do dia-a-dia do Governo, necessárias para que possam funcionar os ministérios, departamentos e órgãos da administração pública.

Custo-benefício: Método de avaliação de um projeto de negócio, em que se busca determinar em que medida os benefícios são superiores aos custos.

Custódia: guarda e exercício de direito sobre títulos e valores depositados em nome de um determinado investidos

CVM – Comissão de Valores Mobiliários. Autarquia federal que disciplina e fiscaliza o mercado de valores mobiliários.

D

Day trade: ocorre quando o investidor realiza operações conjugadas, de compra e venda do mesmo título no mesmo dia, cuja liquidação é unicamente financeira, e tem como objetivo a obtenção de ganhos imediatos.

Débito: Dedução de dinheiro da conta corrente ou de outro tipo de conta. Valor devido.

Default: Calote, no jargão do mercado financeiro.

Déficit Comercial: Reflete a diferença entre o que o país arrecadou com as exportações e o que gastou com as importações. Quando o resultado é negativo (as importações são maiores que as exportações) denominamos déficit comercial. O resultado positivo é chamado de superávit comercial.

Déficit em conta corrente: Resultado negativo da conta de exportações menos importações de bens e serviços.

Déficit Nominal: Corresponde à soma do resultado primário (déficit ou superávit) com o pagamento dos juros nominais (juros reais mais correção monetária) e com a amortização da dívida pública.

Déficit Previdenciário: É a diferença entre o que o Governo arrecada com a contribuição do funcionalismo público e o que paga através de benefícios aos servidores públicos ativos e inativos.

Déficit Primário: Ocorre quando os gastos fiscais do governo superam sua receita. Não inclui gastos com os juros das dívidas interna e externa.

Déficit Público: Acontece quando o governo gasta mais do que arrecada. Quando a arrecadação é maior do que os gastos, obtém-se superávit. Pode ser primário ou nominal.

Deflação: Ocorre quando a maioria dos preços da economia diminui. Indica que a produção e o consumo de bens e serviços produzidos num país estão decrescentes. Quando se torna constante conduz à recessão, provocando o agravamento do padrão de vida das pessoas.

Demanda: O desejo e a capacidade de comprar produtos ou serviços. Pode-se dizer também da soma de ativos, títulos ou valores mobiliários que um conjunto de investidores está disposto a comprar, a determinado preço ou cotação.

Depositante: que ou aquele que deposita.

Depositar: Colocar em um banco

Depósito: Moeda guardada em um banco para conservação, proteção ou acúmulo.

Depósito Compulsório: É a reserva obrigatória recolhida dos depósitos bancários, conforme percentual fixado pelo CMN, com a finalidade de restringir ou de alimentar o processo de expansão dos meios de pagamento.

Depressão: Fase do ciclo econômico marcada pela diminuição da produção, tendência à baixa dos preços e ao aumento do desemprego.

Derivativos: São os mercados futuros e de opções, que viabilizam as operações de hedge. Operam preços futuros de ações, Índice Bovespa, dólar, ouro, juros e mercadorias agrícolas.

Despesas: O que se gastou ou consumiu.

Despesas fixas: O custo total das necessidades básicas.

Despoupança: Fato de transformar uma poupança em consumo.

Dinheiro: Moeda circulante; meio de troca.

Dívida: Empréstimo ou financiamento temporário que deve ser pago com juros.

Dívida Externa: Dívida dos agentes econômicos de um país, com credores em outros países.

Dívida Interna: Dívida em moeda local, dos agentes econômicos de um país, com credores de um mesmo país.

Dívida Pública: Tudo o que o Governo gasta com empréstimos e emissões de títulos.

Dividendos: É a parcela dos lucros de uma empresa que é distribuída, em dinheiro, aos acionistas. Quanto mais ações alguém tem de uma empresa, mais dividendos vai receber se ela der lucro.

Divisas: Disponibilidade de moeda estrangeira de um determinado país.

Doc: Documento para transferência de valores entre contas-correntes. Sua utilização para transferência de valores para contas de poupança não é de aceitação obrigatória pelos bancos.

Dólar Comercial: Utilizado nas operações comerciais do país, no pagamento do serviço da dívida externa e para remessa de dividendos das empresas com sede no exterior. Corresponde ao valor em reais do dólar nessa operação.

Dólar Flutuante: Utilizado nas operações financeiras e na conversão de dólares de residentes. Corresponde ao valor em reais do dólar nessa operação. O mesmo que dólar turismo.

Dólar Paralelo: Utilizado nas operações de compra e venda de moeda estrangeira, fora dos mercados organizados (mercado paralelo). Corresponde ao valor em reais do dólar nessa operação.

Dólar Turismo: Ver Dólar Flutuante.

Dolarização: Substituição formal das moedas de um país pelo dólar americano.

Down Jones: Índice da Bolsa de Nova York, criado em 1896 por Charles H. Down. Representa a rentabilidade do grupo de trinta ações mais negociadas diariamente no pregão.

Dumping: Prática desleal de preços abaixo do custo no comércio internacional.

E

Economia: Ciência que estuda os fenômenos relacionados com a obtenção e a utilização dos recursos materiais, necessários ao bem-estar.

Economia Informal: Conjunto de atividades que geram renda sem obedecer à legislação trabalhista ou fiscal vigentes.

Efígie: representação da imagem de uma pessoa real ou simbólica.

Eletrólito: substância que, em fusão ou em solução, pode sofrer eletrólise e decomposição química pela passagem de uma corrente elétrica.

Emissor: o mesmo que emitente

Emitente: aquele que coloca em circulação cheque ou título cambiário como ordem, promessa ou meio de pagamento.

Empresa: Organização econômica, civil ou comercial instituída para exploração de determinada área de negócio.

Empresa Estatal: Empresa da qual o governo detém a maioria das ações, com direito a voto.

Empresa Pública: Empresa instituída pelo Poder Público, para explorar a atividade econômica emergencial ou conveniência administrativa. Está sujeita ao regime privado das relações trabalhistas e tributárias.

Empresário: Aquele que exerce atividade voltada para a produção ou circulação de bens e serviços.

Empréstimo: Contrato entre duas partes na qual uma procura recursos de capital (tomador) e a outra oferece esses recursos (doador) por um determinado tempo e recebe um rendimento sobre o capital emprestado (pagamento de juros).

Encargos: preço cobrado ao cliente pela prestação do serviço.

Escambo: Comércio de mercadorias e serviços sem utilização de moeda.

Escassez: Falta de um bem ou serviço em relação à sua necessidade. Oposto de abundância.

Estabilidade Econômica: Considerada a partir da existência de três principais indicadores: manutenção do pleno emprego; estabilidade geral de preços e, equilíbrio da balança internacional de pagamentos.

Estagflação: Situação econômica caracterizada pela tendência à estagnação ou recessão seguida de inflação.

Estagnação: Períodos econômicos em que não há progresso material em um país, sobretudo no que diz respeito à renda per capita e a capacidade de emprego.

Expansão: Situação da economia quando os volumes da produção e da demanda apresentam índices de crescimento.

Exportação: Venda de bens e serviços de um país para outro. São estimuladas pelos governos porque possibilitam a entrada de recursos em moeda estrangeira, com reflexos positivos no desempenho da balança comercial.

Extrato bancário: Relatório de depósitos, retiradas, taxas de serviço, juros recebidos em uma conta corrente bancária.

Extrato de conta: Ver extrato bancário.

F

Falência: Situação em que se encontra a pessoa ou estabelecimento comercial que se torna inadimplente.

Fatura: documento que comprova a venda a prazo.

Favorecido: aquele que recebe um cheque.

FEBRABAN: Entidade de classe que representa os bancos de todo o país.

FED ( Federal Reserve) : É o Banco Central dos Estados Unidos. É a partir da atuação do FED que sobem ou descem as taxas de juros no mercado norte-americano, definindo uma tendência que outros países acompanham.

FIEX: Sigla de Fundo de Investimentos no Exterior. Fundo de investimento, que aplica no mínimo 60% de seus recursos em títulos da dívida externa brasileira.

Financiamento: Empréstimo; aquisição de bens ou serviços que serão pagos ao longo de um período de tempo, acrescidos de encargos.

Fluxo de caixa: Registro do movimento de entrada e saída de dinheiro de uma empresa, órgão governamental ou mesmo de uma família.

FMI (Fundo Monetário Internacional): Criado em 1944, pelo Acordo de Bretton Woods, é o organismo financeiro da Organização das Nações Unidas , com sede em Washington. Pretende corrigir os desequilíbrios no balanço de pagamentos dos países-membros que possam comprometer o equilíbrio do sistema econômico internacional. Geralmente, o auxílio do FMI incorre em medidas econômicas ortodoxas, como cortes de gastos públicos.

Fundo Garantidor de Crédito (FGC): Fundo criado para oferecer garantia a determinados créditos mantidos por correntistas, ou investidores, contra instituições financeiras submetidas a regime especial de liquidação extrajudicial. Protege as aplicações até R$250 mil, por cliente, e abrange as contas de poupança, conta-corrente, CDBs, RDBs, letras de câmbio, letras hipotecárias e letras imobiliárias.

FGV 100: calculado pela Fundação Getúlio Vargas, este índice mostra a evolução de uma carteira teórica composta por 100 ações, selecionadas entre as mais negociadas.

Fundos alavancados: utilizam operações de mercados derivativos – como opções e futuros – para aumentar seus ganhos, numa estratégia que também traz maior risco ao fundo.

Fundos balanceados: são destinados aos investidores que procuram combinar a estabilidade dos rendimentos de renda fixa com diferentes parcelas de risco de renda variável.

Fundos cambiais: representam opção de investimento em títulos indexados ao dólar ou ao euro. Acompanham as flutuações cambiais.

Fundos de Investimento: Através da emissão de um certificado de investimento, denominado em cotas, concentra capitais de inúmeros investidores que aplicam seus recursos em títulos, valores mobiliários, instrumentos financeiros, derivativos ou commodities negociadas em bolsa de mercadorias e futuros.

Fusão: Ocorre quando duas companhias decidem unir seus negócios.

G

G-7: É o nome dado à reunião periódica (três vezes por ano) dos sete países mais ricos: Alemanha, França, Estados Unidos, Japão, Inglaterra, Itália e Canadá, com o objetivo de discutir assuntos relevantes e decidir, se for o caso, uma ação coordenada de ajuda aos países mais pobres.

Globalização: Processo pelo qual a vida social e cultural nos diversos países é cada vez mais afetada por influências internacionais em razão de circunstâncias políticas e econômicas. Não é um fenômeno recente. De fato, as primeiras percepções de uma economia global remontam aos séculos XV e XVI, com a expansão ultramarina europeia. A Revolução Industrial, nos séculos XVIII e XIX, acentuou esse processo. Mais tarde, a quebra da Bolsa de Nova York, em 1929, deixaria clara a interdependência econômica dos países. Nessa ocasião, a depressão econômica norte-americana propagou-se, gerando queda nos negócios e desemprego em todo o mundo.

H

Hedge: Cobrir, defender, garantir, proteger. Operações destinadas à proteção do investidor que quer reduzir o risco de suas aplicações.

Hedger: pessoa ou empresa que se utiliza do mercado para se proteger (hedge) de eventuais mudanças de preço ou taxa de câmbio, com a finalidade de reduzir seus riscos.

Hiperinflação: É o aumento insistente dos preços da economia. É tido também como um descontrole geral de preços.

Holding: É a empresa que detém o controle acionário de outra empresa, ou de um grupo de empresas subsidiárias.

Home banking: Serviços bancários em meio eletrônico, acessíveis por telefone ou computador através da internet.

Home broker: plataforma digital que permite a compra e venda de ações

I

IBGE ( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): Autarquia do governo federal, criada com o propósito de apresentar estudos e acompanhar as variações de contas macroeconômicas, tais como desemprego, custo de vida, inflação, etc.

IBOVESPA: Mais importante indicador do desempenho médio das cotações do mercado de ações brasileiro. Retrata o comportamento dos principais papéis negociados na B3. Sua finalidade básica é servir como indicador médio do comportamento do mercado.

IBX-Índice Brasil: mede o retorno de uma carteira teórica de 100 ações selecionadas da B3. Começou a ser divulgada em 1997.

ICMS: Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. Imposto de competência dos estados, cobrado nos preços de mercadorias e diversos tipos de serviços.

IGP-M: Calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é uma referência do mercado financeiro. Mede o comportamento dos preços entre famílias do Rio de Janeiro e de São Paulo, com renda mensal de um a 33 salários mínimos.

Importação: Aquisição de bens e serviços originários e provenientes de país estrangeiro.

Impostos: Contribuição monetária devida por pessoas físicas ou jurídicas, e que é utilizada pelo Estado para a manutenção de suas atividades. Dividem-se em impostos diretos e indiretos.

Impostos Diretos: Incidem sobre a renda e propriedade dos cidadãos e empresas. Exemplos: Imposto de Renda (IR), Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e o Imposto Sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU).

Impostos Indiretos: Incidem sobre a produção e a comercialização de bens e serviços, recaindo sobre as empresas (pessoas jurídicas). Também atingem os cidadãos na medida em que são repassados para os preços dos produtos e serviços finais Exemplos: Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto Sobre Serviços (ISS).

Imposto de Renda (IR): É o tributo cobrado sobre os rendimentos recebidos durante o período de um ano, seja em atividades profissionais, comerciais ou por rendimentos que resultam da aplicação de capitais.

Inadimplência: Situação em que uma pessoa ou empresa deixa de cumprir um contrato que se refere ao pagamento de obrigações financeiras contraídas.

Inadimplente: Pessoa que não paga suas dívidas.

Indexação: Instrumento de política econômica que corrige a valorização da moeda, mediante a aplicação de índices fixados pela autoridade monetária.

Índice de preços: Medem a inflação. Em sua composição são utilizadas metodologias baseadas em preços de diferentes produtos. Um índice de preços representa a média dos valores de um grupo de produtos e serviços, num determinado período. Os principais são: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) e o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FIP.

Índice Nikkei: Índice da bolsa de valores de Tóquio, reflete o índice das ações mais negociadas do mercado japonês.

Inflação: Situação econômica em que há um aumento contínuo e generalizado no nível de preços dos bens e serviços produzidos pela economia, provocando, em decorrência, a perda do poder de compra da moeda. Por isso, durante os períodos de inflação há necessidade de muito dinheiro para comprar pouca coisa. Quando a maioria dos preços da economia diminui dá-se o nome de deflação.

INPC: Índice Nacional de Preços ao Consumidor. É calculado pelo IBGE. Considera a variação dos preços em 11 regiões: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Belém, Fortaleza, Salvador, Recife e Goiânia. Tem como base o orçamento de famílias com renda mensal entre um e oito salários mínimos.

Instrumento de Política Monetária: Utilizado pela autoridade monetária para cumprir objetivos estratégicos do Governo Federal, dentre os quais a estabilidade da moeda e a capacidade de pleno emprego.

Interbancário: É o mercado em que são feitas as operações entre os bancos. O Banco Central atua nele visando regular a quantidade de dinheiro do sistema financeiro.

Investidor: Indivíduo ou instituição que aplica recursos nos diferentes mercados (financeiro, de capital, de arte), com expectativa de ganhos financeiros (aluguéis, ganho de capital, juros).

Investimentos: Capital aplicado em atividade econômica, com o objetivo de lucro. No que diz respeito ao Governo, são as despesas novas que este pretende fazer no país com vistas ao desenvolvimento: estradas, ferrovias, eletrificação rural, saneamento, etc.

IOF – Imposto sobre Operações Financeiras: Imposto que incide sobre as remunerações de todas as atividades bancárias e financeiras, com exceção dos juros propriamente ditos.

IPC – Fipe Índice de Preços ao Consumidor: calculado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP (Universidade de São Paulo) . Considera a variação dos preços na capital paulista.

IPCA:Índice oficial do Governo, usado como parâmetro para o sistema de metas para a inflação. Medido pelo IBGE, o universo da pesquisa do IPCA é composto de famílias que ganham de um a quarenta salários mínimos nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo, Belém, Fortaleza, Curitiba, Salvador, além do Distrito Federal e do município de Goiânia. O cálculo do IPCA considera os gastos com habitação, transportes, comunicação, alimentação, vestuários, saúde e despesas pessoais.

Isenção fiscal: Dispensa legal do pagamento de um tributo.

J

Juros: Quantia que remunera o credor pelo uso de seu dinheiro pelo devedor durante um período determinado. Geralmente, é calculado como uma percentagem sobre o que foi emprestado.

Juro Composto: Juro calculado sobre o montante inicial, acrescido de seus próprios juros.

Juro de Mora: Juro devido pelo atraso no pagamento da dívida.

Juro Nominal: Valor contratado do juro.

Juro Pré-Fixado: Juro calculado sobre o montante inicial.

Juro Pós-Fixado: Juro calculado sobre o montante final.

Juro Real: Juro nominal, menos a taxa de inflação do período.

Juro Simples: Juro calculado sobre o montante inicial.

L

Lance: Preço oferecido pelos representantes das sociedades corretoras no pregão das bolsas, para a compra ou venda de um lote de ações.

LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias: Lei que estabelece as regras para elaboração do Orçamento Geral da União (OGU). Define, por exemplo, qual percentual será gasto com investimentos, ou como os recursos serão distribuídos pelos vários estados e municípios. A LDO é aprovada pelo Congresso no primeiro semestre do ano, e baliza a votação do OGU, no segundo semestre.

Lei da Oferta e da Procura: Correlação entre a oferta e a procura por determinado bem ou serviço. Os preços tendem a cair quando aumenta a oferta, e tendem a subir quando aumenta a procura.

Lei da Usura: legislação que proíbe a cobrança de juros em taxas superiores às taxas máximas permitidas por lei.

Lei de Responsabilidade Fiscal: Lei complementar 101, de 4 de maio de 2000. Atua sobre as finanças públicas das três esferas do governo (União, estados e municípios). O objetivo da Lei é obrigar o setor público a gastar de acordo com as receitas obtidas e garantir a transparência da gestão. A Lei prevê mecanismos para o controle das finanças públicas em anos de eleição.

Letras de câmbio: Títulos de crédito que consistem numa ordem escrita de pagamento. Através delas, o sacador (emitente) dá ao sacado(aceitante) ordem de pagar ao tomador(beneficiário), determinada quantia, no tempo e no lugar fixados na letra. As letras de câmbio são emitidas com o objetivo de captar dinheiro para financiar bens duráveis para consumidores ou capital de giro para as empresas.

Liberalismo Econômico: Doutrina que afirma que o melhor sistema econômico é o que garante o livre jogo das iniciativas individuais dos agentes econômicos.

Licitação: procedimento administrativo através do qual se seleciona a proposta mais vantajosa para um contrato de interesse da administração pública. Todo o contrato administrativo exige licitação prévia, salvo exceções previstas em lei.

Liquidação: série de operações a que uma empresa ou banco procede a fim de pagar suas dívidas.

Liquidez: Capacidade de converter um investimento em dinheiro.

Lucratividade: Relação entre o valor atual e o valor pago por um investimento.

Lucro: O dinheiro que um negócio traz menos o custo de produção e de venda dos seus produtos. Resultado econômico positivo de uma operação econômica.

M

Macroeconomia: Ramo da economia que estuda os fenômenos econômicos e sua distribuição em uma estrutura, ou em um setor, verificando as relações entre elementos como a renda nacional, o nível dos preços, a taxa de juros, o nível da poupança e dos investimentos, a balança de pagamentos e o nível de desemprego.

Meio circulante: Moeda metálica e cédulas em circulação.

Meio de Pagamentos: Ativos financeiros que podem ser usados para pagamento de dívidas, contratos, transações comerciais e financeiras.

Marcação a tempo: é a atualização de um preço para um valor mais recente

Mercado: Conjunto de transações econômicas entre vários países ou no interior de um país.

Mercado a futuro: Esfera dos compromissos de compra e venda, realizados nas bolsas de valores ou de mercadorias (commodities).

Mercado Cambial: Mercado de oferta e procura de moedas estrangeiras.

Mercado Comum: Área de livre comércio entre países.

Mercado de Ações: Segmento do mercado de capitais onde se negocia ações de companhias. Os negócios com ações se realizam no Mercado de bolsa e no Mercado de balcão.

Mercado de Balcão: Mercado de ações ou outros ativos, cujas operações atendem a especificações estabelecidas pelo cliente. As operações são fechadas por telefone ou por um sistema eletrônico de negociação.

Mercado de Capitais: É constituído pela bolsa de valores e outras instituições financeiras; negocia com papéis (ações, títulos de dívidas de longo prazo).

Mercado de Trabalho: Situação de oferta e procura de empregos de um país ou de uma região.

Mercado Financeiro: Abrange todas as transações com moedas e títulos e as instituições que as promovem: bancos estaduais, bancos comerciais e de investimento, corretora de valores, fundo de investimento, Banco Central, Caixa Econômica, etc. O mercado financeiro está dividido em quatro sub mercados: monetário (que negocia a moeda), crédito (que negocia empréstimos), cambial (que negocia moeda estrangeira), e bolsa de valores (que negocia recursos para as empresas mediante a compra e venda de ações).

Mercado futuro: Mercado onde são realizadas operações envolvendo lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros. Neste mercado, os participantes apostam em cotações futuras destes ativos para se proteger ou simplesmente especular. Por exemplo, se há a crença de que a cotação futura de um ativo será 100 e o preço atual é 80, comprar este índice futuro pode ser lucrativo.

Mercado Monetário: Setor do mercado financeiro que negocia empréstimos a curto prazo, mediante pagamento de juros.

Mercado Paralelo: Mercado cujas operações com títulos e moeda não são regulamentadas, nem fiscalizadas, pelo governo ou instituições financeiras credenciadas.

Mercadoria: Qualquer produto (matérias-primas, gêneros, artigos manufaturados, etc) passível de ser comprado ou vendido.

Mesada: Quantia dada pelos pais aos filhos. Preferencialmente deve funcionar como instrumento de educação financeira.

Metas de Inflação: Regime de política monetária introduzida em junho de 1999. Nesse regime, o Banco Central fixa e divulga um intervalo de variação para o índice de inflação a ser perseguido num determinado período, geralmente para os próximos três anos. O índice adotado pelo governo para acompanhar as metas de inflação é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O sistema de metas tem por base a credibilidade do BACEN, uma vez que, ao fixar uma meta de inflação, o Banco Central assume um compromisso com o mercado de não permitir que as pressões de custo ou de demanda sejam superiores à meta estabelecida.

Micar: Expressão para a falta de liquidez de um investimento.

Mico: Investimento, que, em determinado período, fica sem liquidez no mercado.

Microcrédito: Programa de concessão de crédito que visa ao aumento da renda familiar de microempreendedores com baixos ganhos e com dificuldade de acesso ao crédito bancário.

Microeconomia: Trata do modo como as entidades individuais que compõem a economia (consumidores, empresas comerciais, trabalhadores, grandes proprietários de terra, produtores de bens ou serviços) atuam reciprocamente.

Moeda: Unidade de valor aceita como instrumento de troca ou comparação de valores. A moeda brasileira é o Real.

Monetarismo: Corrente teórica que atribui à moeda um papel determinante nas flutuações econômicas.

Monopólio: Situação de um mercado em que não existe concorrência na oferta, e só se apresenta um único vendedor.

Moratória: Dilatação de prazo solicitada pelo devedor, ou concedido pelo credor, para pagamento de uma dívida.

N

Nafta (North Atlantic Free Trade Agreement): Tratado de área de livre comércio entre os Estados Unidos, Canadá e México.

Nasdaq: é o pregão eletrônico dos negócios de balcão do mercado norte-americano, inaugurado em 1971. É o índice da “nova” economia, pois nele estão presentes as empresas de alta tecnologia.

Negociação: Qualquer tipo de negócio.

Nota fiscal: Impresso exigido pelas leis fiscais, em papel timbrado e numeração tipográfica sequencial, que o comerciante entrega ao comprador de mercadorias e serviços, relacionando o objeto da venda, com o detalhamento de preços.

Nota Promissória: Documento emitido pelo devedor, que se obriga a pagar ao seu credor, ou a sua ordem, uma determinada importância, na data de vencimento definida. Na expressão popular, é chamada de “Papagaio”.

Número de identificação pessoal: Número secreto, gravado eletronicamente no cartão do banco que permite ao caixa automático liberar o dinheiro solicitado quando a pessoa digita o mesmo número.

Numismática: Ciência que estuda moedas e medalhas.

O

Oferta: Quantidade de bens ou de serviço que se oferece no mercado.

Oferta e Demanda (oferta e procura): Ver Lei da Oferta e da Procura.

Oferta Monetária: Quantidade de moeda ofertada, colocada em circulação.

Off-shore: Paraíso fiscal; lugar no exterior onde se realiza investimentos praticamente isentos de tributação e escassamente regulamentados.

OGU (Orçamento Geral da União): Lei aprovada pelo Congresso Nacional, que detalha todos os gastos que o Governo está autorizado a fazer durante o ano.

Oligopólio: Situação de mercado em que poucas empresas detêm o controle da maior parte do mercado.

OMC (Organização Mundial do Comércio): Organismo de estímulo ao comércio internacional, com sede em Genebra, na Suíça, que se ocupa das normas que regem o comércio entre a maioria dos países que participam do comércio mundial.

Opção: contrato que dá ao investidor o direito de comprar ou vender determinado ativo numa data específica, por um preço preestabelecido. Ver derivativos.

Operações de Mercado Aberto: Operação que se realiza, geralmente, mediante a compra e a venda no mercado livre de títulos governamentais de curto prazo.

Operador de mesa: Representante de uma instituição financeira que executa ordens de compra e venda de ações no mercado de balcão ou passando ordem às bolsas.

Operador de pregão: Representante de uma sociedade corretora que executa ordens de compra de venda de ações no pregão de uma bolsa.

Orçamento: É um plano que detalha quanto dinheiro uma pessoa, negócio ou governo tem para gastar e como deve gastar. Previsão limitadora de quantias que devem ser utilizadas como despesas e receitas, ao longo de um período determinado, por um indivíduo ou por uma sociedade.

Ordem de pagamento: Documento bancário através do qual uma pessoa autoriza outra a receber determinado valor do banco.

Ouro: Metal precioso, elemento químico, de símbolo Au, com o número atômico 79, ponto de fusão de 1063ºC e ponto de ebulição a 2610ºC.

Ouro dos trouxas: Pirita (sulfeto de ferro que tem cor amarela e brilho metálico).

P

P/L: Índice Preço/Lucro. Indicador do tempo de recuperação do capital investido. P é o preço (cotação da ação na Bolsa) e L é o lucro por ação, estimado em regime de perpetuidade (hipótese em que o lucro por ação se mantém inalterado por anos à frente). Com esses dados, estabelece-se uma relação que indica em quanto tempo (contado em anos) o capital será recuperado. O P/L médio pode ser calculado para uma carteira de ações.

Padrão Monetário: Denominação da moeda de um país, incluindo a moeda divisionária. No caso do Brasil, o padrão monetário é o Real, e a moeda divisionária os centavos.

Pagamento: Salário ou retribuição por serviços prestados, ou mercadorias adquiridas.

Papagaio: Versão popular para o termo Nota Promissória.

Papel-moeda: Cédula feita de um papel especial, constituído de linho e algodão.

Paraíso Fiscal: Zona econômica onde a regulamentação fiscal e monetária das atividades bancárias é leve, ou até inexistente. Exemplos: Suíça, Panamá, Luxemburgo.

Parcela: Ver prestação.

Participação nos Lucros: Fração dos lucros de uma sociedade a serem distribuídos.

Passivo: Compreende basicamente as obrigações a pagar, isto é, o quanto a empresa ou cidadão deve a terceiros: títulos a pagar, contas a pagar, fornecedores, salários a pagar, impostos a pagar, hipotecas a pagar, etc.

Patente: Documento emitido pelo governo e concedido a um inventor, ou a seus representantes, a fim de proteger seus direitos de propriedade e de exploração de uma invenção de caráter industrial.

Patrimônio: Conjunto dos bens e direitos de uma pessoa ou empresa, que têm valor econômico.

PEA: População Economicamente Ativa. Índice que identifica a população em condições de trabalhar. É a base de cálculo da taxa de desemprego medida pelo IBGE.

Penhora de bens: Ato judicial pelo qual se retiram os bens em poder do devedor, colocando-os sob a guarda da Justiça para a garantia de pagamento de uma dívida.

Perfil de investidor: perfil que leva em consideração a tolerância do investidor ao risco.Normalmente é dividido entre conservador, moderado ou agressivo/arrojado

Performance: desempenho alcançado por um determinado investimento.

Pessoa Física: Qualquer ser humano; pessoa individual; pessoa natural.

Pessoa Jurídica: Expressão adotada para indicação de instituições, corporações, associações ou sociedades com existência e responsabilidades legalmente reconhecidas e devidamente autorizadas a funcionar. Classificam-se como pessoa jurídica de direito privado (empresas em geral, fundações, etc.) e de direito público (União, estados, municípios, autarquias).

PIB – Produto Interno Bruto: É a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante o ano. É comum também utilizar o PIB como padrão de medida para outras contas públicas. Quando as taxas de variação são positivas, indicam crescimento (a produção do ano foi superior à do ano anterior) e, quando são negativas, recessão (a produção do ano foi inferior à do ano anterior).

Planejamento: Conjunto de procedimentos ou de ações (por uma empresa, pessoa, família ou um órgão de governo, etc.), que visam à realização de um determinado projeto.

Plano Bresser: Plano de recuperação econômica, lançado em meados de 1987, para correção de rumos do Plano Cruzado.

Plano Collor 1: Plano de recuperação econômica, lançado em março de 1990, com mudanças nas áreas financeira, fiscal, cambial, de comércio exterior, preços e salários.

Plano Collor 2: Plano visando estancar o processo inflacionário, lançado em fevereiro de 1992.

Plano Cruzado: Plano de recuperação econômica lançado em fins de fevereiro de 1986.

Plano Verão: Plano de recuperação econômica, anunciado em janeiro de 1989.

PNB – Produto Nacional Bruto: Valor total de todos os produtos e serviços finais produzidos por um país (PIB) menos a renda líquida enviada para o exterior. Por exemplo , quando um país envia para o exterior mais renda do que ele recebe, o seu PNB será inferior ao PIB.

Política Cambial: Atuação do Banco Central no mercado de câmbio a fim de manter, ou alterar, a cotação da moeda. Para o poder intervir, o BC deve dispor de um bom estoque de reservas internacionais, ou seja, de dólares em caixa.

Política Econômica: É também conhecida como Economia Normativa. São as ações práticas do governo, com a finalidade de condicionar, balizar e conduzir o sistema econômico, no sentido de que sejam alcançados um ou mais objetivos econômicos, politicamente estabelecidos. Os resultados alcançados pela política econômica variam em cada país dependendo do grau de diversificação de sua economia, da natureza do regime social, e do nível de atuação dos grupos de pressão (partidos políticos, sindicatos, associações de classe, ONGs). A política econômica de um país é composta pela soma das políticas monetária, fiscal e cambial.

Política Fiscal: Conjunto de ações e medidas tomadas pelo governo que determinam como é arrecadado e utilizado o dinheiro público. O Ministério da Fazenda e seus órgãos subordinados (Secretaria do Tesouro Nacional e Secretaria da Receita Federal) são os grandes responsáveis pela política fiscal.

Política Monetária: Conduzida pelo Banco Central, controla a quantidade de dinheiro em circulação no mercado e permite definir as taxas de juros.

Portfólio: carteira de títulos e valores mobiliários.

Poupador: Aquele que consome apenas parte de sua renda pessoal e poupa o restante.

Poupança: Dinheiro colocado em algum lugar seguro para ser usado mais tarde. Fração da renda nacional ou individual que não é aplicada em serviços e bens de consumo; forma de acumulação de renda.

Praça: cidade

Prática espúria: que não está de acordo com as leis ou a ética.

Preço: Quantidade monetária equivalente a uma mercadoria, determinada em função de sua capacidade de ser negociada no mercado; valor; custo.

Pregão: Sessão em que se efetuam negócios com ativos registrados em uma bolsa de valores, diretamente da sala de negociação (pregão a viva voz) e/ou por sistemas de negociação eletrônica (pregão eletrônico).

Pregão a Viva Voz: Pregão onde os preços e quantidades são negociados verbalmente.

Pregão Eletrônico: Sistema eletrônico de negociação por terminais.

Prejuízo: Perda financeira.

Prestação: O que o devedor deve pagar, em contrato de financiamento.

Previdência Privada: Instituição privada que, cobrando certo número de contribuições dos associados, substitui a previdência social, garantindo aposentadorias e pensões.

Previdência Social: Instituição pública cujo objetivo é proteger e reparar o trabalhador e suas famílias na velhice e na doença, por meio de aposentadorias, pensões, assistência médica e hospitalar.

Procurador: indivíduo que possui procuração para resolver ou administrar os negócios de outra pessoa.

Produção: Criação de um bem ou de um serviço adequado para a satisfação de uma necessidade.

Produção Interna: Conjunto dos bens e serviços produzidos pela economia nacional, em território nacional, qualquer que seja a nacionalidade dos produtores.

Produto: Aquilo que é produzido para venda no mercado, resultado de um trabalho ou de uma atividade.

Produtor: Aquele cuja atividade ou profissão é produzir bens, mercadorias, etc.

Propriedade: Direito legal de usar, gozar e dispor de um bem.

Protecionismo: Sistema de proteção da indústria ou do comércio de um país, concretizado em leis que proíbem ou inibem a importação de determinados produtos, por meio de taxação de produtos estrangeiros.

Q

Quilate: Medida do peso de pedras preciosas. 1k (quilate) é igual 0,20 grama.

R

Razão social: Nome adotado por uma sociedade comercial para indicar a pessoa jurídica que representa.

Recessão: Ocorre quando o volume de riqueza que um país produz (PIB) diminui em relação ao que produziu no ano anterior. Implica em declínio da taxa de crescimento da atividade econômica. Os principais indicadores de uma fase de recessão são queda da produção, aumento do desemprego, diminuição das taxas de lucro e crescimento do número de falências e concordatas.

RDB: Recibo de Depósito Bancário. Título de renda fixa.

Redesconto: Um dos instrumentos de política monetária utilizado pelo Banco Central para regular o sistema de liquidez do sistema bancário. Atua sobre os bancos com dificuldades momentâneas de caixa.

Regime Cambial: Formas de administração das operações de câmbio de um país. As mais comuns são: câmbio livre, câmbio fixo, currency board, banda cambial, meta de inflação e dolarização.

Regime Econômico: Características institucionais que determinam, no âmbito de um sistema econômico, as condições de organização prática do funcionamento da economia.

Remuneração: Gratificação, geralmente em dinheiro, por trabalho realizado.

Renda Fixa: Tipo de aplicação no qual o lucro é contratado previamente ou segue taxas de mercado. Pode ser pré-fixado ou pós-fixado.

Renda Nacional: Valor equivalente ao Produto Interno Bruto de um país (PIB).

Renda Per Capita: Dividindo-se o Produto Nacional Bruto (PNB) pelo número de habitantes do país, obtém-se a renda per capita. Medida que indica a disponibilidade de recursos dos habitantes do país para o consumo ou investimento.

Renda Pós-fixada: É o rendimento que paga correção monetária no período da aplicação, mais juros sobre o valor corrigido da aplicação.

Renda Pré-Fixada: Rendimento em que o investidor fica sabendo no ato da aplicação quanto vai ganhar e quando terá o seu dinheiro de volta.

Renda variável: Tipo de investimento no qual, ao contrário da renda fixa, a rentabilidade não pode ser determinada na data da realização do investimento. Uma aplicação é considerada renda variável quando o rendimento da aplicação é pouco previsível, pois está sujeita a grandes variações de acordo com o mercado. Ações de empresas são exemplos de renda variável.

Rendimento: lucro alcançado em uma operação financeira. Valor que se recebe por um investimento.Normalmente é expresso em números, como, “o rendimento do investimento foi de R$400,00”.

Rentabilidade: retorno sobre o investimento que foi realizado. Pode ser definida através de taxas pós ou pré-fixadas ou baseada na valorização, como acontece no mercado de ações. Normalmente é definida em percentuais, como “5% ao ano”.

Reservas Cambiais: São valores constituídos por divisas estrangeiras originárias de superávits nas balanças de pagamentos e destinam-se a cobrir eventuais déficits das contas internacionais.

Reservas Internacionais: Constituídas pelos dólares que entram no país via investimentos diretos, empréstimos, financiamentos e captações. Para serem usados, esses dólares são trocados por reais junto aos bancos. Os reais vão para a economia e os dólares ficam com o BACEN. As reservas em dólares precisam ser suficientes para quitar todas as dívidas do país com o mercado internacional.

Responsabilidade Fiscal – Ver Lei de Responsabilidade Fiscal.

Revolução Neolítica: substituição da vida nômade pela vida sedentária, com o início da agricultura e da domesticação dos animais.

Risco: Elemento de incerteza que pode afetar a atividade de um agente ou o desenrolar de uma operação econômica. Grau de incerteza do retorno de um investimento.

Risco-país: Definido por instituições privadas, o risco país indica possibilidade de um país dar calote em sua dívida externa. Quanto mais baixa for a taxa de risco, maiores as vantagens para o país, já que caem os juros que terá de pagar para obter empréstimos estrangeiros, diminui a aversão de investidores internacionais com perfil mais conservador, que não gostam de correr riscos altos, e aumenta o número de investidores dispostos a conservar seu capital no país.

Rolagem da Dívida: Renegociação de passivos, próximo da data de vencimento.

S

Sacador: aquele que emite um cheque.

Sala de Negociações: Sala do pregão das bolsas.

Salário Mínimo: Menor remuneração do trabalho permitida por lei.

Saldo: Diferença entre débitos e créditos em uma conta; resto de uma quantia a pagar ou a receber.

Saldo bloqueado: Saldo com depósitos em cheques aguardando compensação bancária.

Saldo em Transações Correntes: É o resultado de todas as operações do país com o exterior.

Saldo médio: Média aritmética dos saldos diários da conta corrente bancária em determinado período (mês, trimestre).

Saque: Retirada de dinheiro da conta corrente bancária; ato de sacar uma ordem de pagamento ou título de crédito.

Sazonalidade: É a denominação do período do ano com maior atividade de determinado setor da economia. A indústria tem maior nível de atividade nos meses de setembro e outubro, quando a produção aumenta para atender às encomendas do comércio para as vendas de Natal.

SEC: Securities and Exchange Commission. É o órgão nos Estados Unidos equivalente à Comissão dos Valores Mobiliários aqui no Brasil.

Seguro: Contrato no qual um dos contratantes (companhia de seguros) assume a obrigação de indenizar ao outro (segurado) por um prejuízo (sinistro), resultante de um evento futuro, possível e incerto (o risco) indicado no contrato, mediante o recebimento de uma importância estipulada (prêmio).

SELIC: Taxa básica de juros da economia. Referência nas transações feitas entre os bancos e o BACEN. O Banco Central estipula a taxa SELIC, que por sua vez, influencia a taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário). As duas taxas, portanto, possuem valores muito próximos.

Serviço da dívida: Pagamento de juros e principal (valor do empréstimo) de uma dívida.

Serviços: Qualquer trabalho feito por dinheiro ou em troca de algo. São atos executados por indivíduos ou empresas que satisfazem as necessidades humanas. Exemplos: serviço médico, telefônico, mecânico.

Sigilo: Impedimento legal da revelação de assunto confidencial sobre nomes e operações de clientes. Só podem ser revelados por autorização escrita desses clientes ou por ordem de autoridade competente.

Sigilo bancário: Sigilo sobre movimentações financeiras de clientes de instituições financeiras.

Sigilo fiscal: Sigilo sobre declaração de impostos às repartições federais, estaduais e municipais.

Sinistro: realização do risco previsto no contrato de seguro, dele resultando perdas para o segurado ou seu beneficiário. Pode ser total ou parcial.

SISBACEM – Sistema de Operações, Registro e Controle do Banco Central. É o Sistema de computadores do BACEN. Nele são registradas as saídas e entradas de dólares do país, por exemplo.

Sistema Econômico: Conjunto de instituições jurídicas e sociais, em que são empregados certos meios técnicos para assegurar a realização do equilíbrio econômico.

Sistema Financeiro: Conjunto de instituições públicas e privadas que possibilitam a transferência de recursos entre os diversos agentes financeiros
(poupadores, investidores, etc.)

Sistema Monetário: Conjunto de cédulas e moedas adotado por um país.

Smart card (cartão inteligente): cartão de plástico, no mesmo formato de um cartão de crédito, que dá acesso aos terminais 24 horas para depósitos e retirada de dinheiro.

Socialismo: Doutrina que preconiza a organização de uma sociedade igualitária, livre das relações de exploração entre as classes sociais, e que assegura a primazia do interesse coletivo sobre os indivíduos.

Sociedade: Entidade jurídica, instituída por um contrato, que reúne várias pessoas que se obrigam a empregar em comum valores, bens, ou trabalho, com finalidade lucrativa.

SRF – Secretaria da Receita Federal. Autarquia do Ministério da Fazenda que regula e fiscaliza a arrecadação dos tributos federais.

SUMOC – Superintendência da Moeda e do Crédito. Órgão criado em 1945, com a finalidade de exercer o controle monetário e de preparar a organização de um banco central para o país.

Superávit: Acontece quando a arrecadação de impostos é maior que os gastos do governo.

Superávit Primário do Setor Público: Caracteriza-se quando o Governo consegue que sua arrecadação total supere suas despesas, descontados os gastos com juros e correção monetária de dívidas.

T

Tarifa bancária: Preço cobrado pela execução de determinados serviços bancários.

Taxa: Tributo arrecadado pela União, ou pelos estados ou pelos municípios, com o objetivo de prestar certos serviços à população em geral.

Taxa Básica: Taxa de juro anual fixada por um banco, que serve de referência para o cálculo das diferentes condições oferecidas por esse banco.

Taxa de Câmbio: Preço de uma moeda estrangeira em moeda nacional. Quando há mais pressão pela compra da moeda do que a oferta, a cotação sobe. Quando acontece o contrário, e a oferta é maior, a cotação da moeda estrangeira diminui.

Taxa de Juros: É o custo do dinheiro no mercado. O BACEN é o órgão regulador da política de juros. Quando a taxa de juros está alta é sinônimo de falta de dinheiro no mercado. Ao contrário, quando está baixa, é porque está sobrando dinheiro no mercado. A taxa de juros é um dos mais importantes indicadores de política monetária.

Taxa SELIC: É a taxa que reflete o custo do dinheiro para empréstimos bancários, com base na remuneração dos títulos públicos.

Taxa de Performance: alguns fundos cobram esta taxa quando sua rentabilidade supera o tamanho previamente estabelecido. Trata-se de um prêmio pago pelo bom desempenho de gestão de fundo.

Tendência: Movimento ascendente, lateral, ou descendente dos preços de um ativo no mercado, claramente identificável, através de indicações padronizadas.

Tesouro Direto: títulos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional, órgão do governo junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN)

Testamento: documento que contém os desejos de uma pessoa com relação à disposição de suas propriedades e aos cuidados com seus dependentes após a sua morte.

TR – Taxa Referencial: indexador calculado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). É divulgada diariamente e vale por um período de 30 dias.

Títulos: Papéis ou certificados que representam um determinado capital. Podem ser emitidos por instituições públicas, privadas ou mistas, com o objetivo de captar recursos.

Títulos do BACEN: Emitidos com o objetivo de fazer política monetária, ou seja, controlar o volume de dinheiro em circulação no sistema financeiro.

Títulos da Dívida Externa: O Governo Federal visando obter dinheiro no exterior pode vender títulos da dívida externa a investidores estrangeiros que emprestam seu dinheiro em troca de uma taxa de juros definida.

Títulos Públicos: São papéis lançados pelo Governo, podendo ser do Tesouro Nacional ou do BACEN.

TJLP – Taxa de juros de longo prazo: É a taxa utilizada pelo governo na correção de seus papéis. É também utilizada como indexador básico de contratos de financiamento do BNDES.

Tomador: Pessoa que realiza um empréstimo, ou toma por empréstimo, certa quantia ou coisa. O inverso de Doador.

Transação: Operação em que há troca ou transferência de valores.

Transações Correntes: São as operações do Brasil com o exterior. Incluem as receitas obtidas com exportações de mercadorias, gastos com importação, pagamentos de juros da dívida externa, seguros e fretes.

Traveller’s check: Cheque adquirido de um banco e assinado pelo emitente na hora da compra, e, novamente, na hora da conversão em dinheiro. O mesmo que cheque de viagem.

Tributo: Impostos, taxas.

Tutor: pessoa legalmente responsável pela proteção de um menor.

U

UFIR – Unidade Fiscal de Referência. Indexador federal usado para atualização monetária de tributos e multas.

União Europeia: Conjunto de países da Europa que busca transformar o continente em uma unidade política e econômica.

Usura: Prática que consiste em cobrar taxas de juros superiores às habituais, ou às permitidas por lei, por ocasião de um empréstimo. Agiotagem.

Utilidade: Qualidade daquilo cujo uso é apreciado pelo agente econômico.

V

Valor: Atributo que confere a qualquer objeto a natureza de bem econômico. Título negociável.

Valor de mercado: Valor de cotação. Representa o valor com que determinado produto pode ser comercializado.

Valor Nominal: Valor mencionado no estatuto social de uma companhia e atribuído a uma ação representativa de seu capital.

Valor venal: Valor de mercado.

Valores: Bens, haveres, riqueza.

Valor de Face (valor facial): valor impresso no título; valor certo de resgate de um título de crédito.

Valores Mobiliários: todo investimento em dinheiro ou em bens suscetíveis de avaliação monetária. Exemplo: ações, cotas de fundo de investimento, títulos cambiais.

Viés: Tendência. Utilizado para avaliar o que pode ocorrer em um futuro próximo, especialmente com a taxa de juros e a variação cambial. Pode ser de alta ou de baixa.

Volatilidade: variação da cotação de um determinado ativo em um período de tempo

Vulnerabilidade externa: Indicador de nível de risco de um país, em consequência da dimensão do déficit em conta corrente.